"Muitos livros foram escritos sobre bruxaria(...). Embora seus autores soubessem que bruxas existissem, nenhum deles consultou uma bruxa sobre suas visões a respeito da bruxaria. Afinal, a opinião de uma bruxa deveria ter algum valor, mesmo se não se encaixasse nas opiniões preconcebidas(...). Sou antropólogo e é consenso que o trabalho de um antropólogo é investigar o que as pessoas fazem e em que acreditam, e não o que outras pessoas dizem que elas fazem ou acreditam."(Gardner, 2003, p.21-22 em: A Bruxaria Hoje)
"A Bruxaria Moderna é um fato. Ela não é mais uma relíquia subterrânea da qual a camada restante, e até mesmo a própria existência, é acirradamente disputada pelos antropologistas. Ela não é mais o passatempo bizarro de um punhado de excêntricos. Ela é a prática religiosa ativa de um número substancial de pessoas." (Farrar, 1985, p. 2 em: A Bíblia da Feitiçaria)

terça-feira, 19 de junho de 2007

Os DEUSES WICCANOS




Há religiões que cultuam um só Deus, religiões que cultuam vários deuses. Porém, há uma coisa em comum em todas elas: todas acreditam que há um Princípio Criador, que não tem nome, mas que deu origem a todo o universo. Algumas chamam-na de Natureza, outros de Éter, ou ainda de "o Deus Supremo". Outros, como nós, pensam diferente: achamos que essa energia é ambas as coisas, masculina e feminina. Desse princípio, surgiram as duas grandes polaridades, que deram origem ao Universo e a todas as formas de vida. Faz, sem dúvida, mais sentido ver o Princípio Criador como feminino, se quisermos dar um gênero à Divindade, visto que é a mulher que dá a vida. Mesmo Jesus, que os cristãos dizem ser filho de Deus ou mesmo o próprio Deus, teve de nascer de Maria antes de poder tomar forma humana. Ainda assim, sabemos que para que a mulher conceba, é necessária a outra metade, o homem para que uma nova vida seja criada. Por isso, dizemos que há uma energia que gerou o universo que é tanto masculina quanto feminina. E essas energias, diferentes, mas complementares são representadas como tendo características próprias. E cada uma delas mostra-nos uma parte do Princípio Criador, e todas as partes juntas dão-nos uma idéia do todo. Por isso, as pessoas que acreditam em que há apenas Um Deus, têm razão, tal como aquelas que veneram os muitos deuses, mas de maneiras diferentes.
Na Wicca chamamos as polaridades femininas e masculinas genericamente de Deus e Deusa. Essas deidades possuem diversas facetas, por isso a Wicca é politeísta. A elas são atribuídas três aspectos: a Deusa como Donzela (virgem), a Mãe (fertilidade) e Anciã (sabedoria). O aspecto da anciã é comumente associada ao estereótipo das bruxas más das histórias infantis. No caso do Deus, assim também ocorre. Seus aspectos são: A Criança da Promessa (luz), o Caçador (fertilidade) e o Deus Moribundo (morte). O primeiro aspecto foi utilizado pela igreja Católica para explicar o nascimento de Jesus Cristo. O aspecto Caçador do Deus é representado como um homem com chifres de veado, que simbolizam a sua virilidade, pois ele é cultuado como deus da fertilidade. Na primavera, ele e a donzela, se unem no êxtase do Grande rito para criar a vida. Essa é a representação da renovação da vida que acontece em cada primavera.
A imagem do Deus foi deliberadamente pervertida pela igreja medieval para a imagem do Diabo Cristão. A Wicca não acredita nem cultua o diabo, nós o consideramos como um conceito próprio do Cristianismo. Nosso Deus possui chifres, mas estes são os símbolos da virilidade animal. Nos cultos medievais, o Deus alcançou maior proeminência que a Deusa durante um certo período, quando a peste e os desastres naturais dizimavam colheitas, e os camponeses apelavam ao Grande Rito para obter sucesso nas colheitas.

Um comentário:

geovana disse...

erynn parabens tem um otimo blogger gostei muito geralmente nao deixo comentarios nos bloggs mas o seu mereceu parabens mesmo gostei q vc sempre aborta preconceito isso vai acabar um dia se ha grande mae assim permitir
um grande abraso um bater de asas e ate +