"Muitos livros foram escritos sobre bruxaria(...). Embora seus autores soubessem que bruxas existissem, nenhum deles consultou uma bruxa sobre suas visões a respeito da bruxaria. Afinal, a opinião de uma bruxa deveria ter algum valor, mesmo se não se encaixasse nas opiniões preconcebidas(...). Sou antropólogo e é consenso que o trabalho de um antropólogo é investigar o que as pessoas fazem e em que acreditam, e não o que outras pessoas dizem que elas fazem ou acreditam."(Gardner, 2003, p.21-22 em: A Bruxaria Hoje)
"A Bruxaria Moderna é um fato. Ela não é mais uma relíquia subterrânea da qual a camada restante, e até mesmo a própria existência, é acirradamente disputada pelos antropologistas. Ela não é mais o passatempo bizarro de um punhado de excêntricos. Ela é a prática religiosa ativa de um número substancial de pessoas." (Farrar, 1985, p. 2 em: A Bíblia da Feitiçaria)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

A NOITE DE TODAS AS ALMAS

Essa música da cantora canadense Loreena Mckennitt fala sobre o Festival de Samhain, conhecido popularmente por Halloween, e que corresponde ao feriado Cristão de Finados. Por isso também é conhecido como Noite de Todas as Almas. Esse festival corresponde ao Ano Novo Celta.


Loreena McKennitt - All Souls Night (tradução)

A Noite de todas as almas

Fogueiras pontuam as encostas onduladas.
Espectros dançam ao redor e ao redor.
Tambores pulsam para longe os ecos da escuridão,
Movimentando ao som pagão.

Em algum lugar dentro de uma memória oculta,
Imagens flutuam diante dos meus olhos.
Das perfumadas noites das palhas e das fogueiras
E dançando até o próximo nascer do Sol

Eu posso ver luzes na distância,
Tremulantes no manto escuro da noite.
Candeias e lanternas estão dançando, dançando,
Uma valsa pela Noite de Todas as Almas.

Figuras de talos de trigo curvam-se nas sombras
Sustentando-se bem alto como as enormes chamas a
pulsarem
O cavaleiro verde adentra a mata sagrada
Para indicar por onde o ano velho vai nos deixar.

Eu posso ver luzes na distância,
tremulantes no manto escuro da noite.
Candeias e lanternas estão dançando, dançando,
uma valsa pela noite de todas as almas.

Fogueiras pontuam as encostas onduladas.
Espectros dançam ao redor e ao redor.
Tambores pulsam para longe os ecos da escuridão,
E movimentando ao som pagão.

Na ponte por onde passa
O rio que vai-se embora para o mar.
O vento está saturado de milhares de vozes.
Elas caminham próximas à ponte e a mim.

Eu posso ver luzes na distância,
tremulantes no manto escuro da noite.
Candeias e lanternas estão dançando, dançando,
uma valsa pela noite de todas as almas.

Um comentário:

Vinícius disse...

Essa música é linda, como todas da Loreena...
:D